Arquivo da categoria ‘Tecnologia da construção’

Mãos à Obra 2010/01 na TV Feevale

quarta-feira, 10 março, 2010

Entrevista da Professora Alessandra Brito falando sobre o novo curso do Mãos à Obra:

Construção Civil é assunto na TV Feevale

segunda-feira, 23 novembro, 2009

Prof. Arq. Leandro Manenti e Acad. Guilherme Osterkamp falam sobre novas tecnologias e experiências acadêmicas no vídeo abaixo:

Curso: Protetores Solares – Projeto e Dimensionamento

terça-feira, 2 junho, 2009

Hipódromo do Cristal, sede do Jockey Club do Rio Grande do Sul. Foto: Profª Luciana Martins.

Hipódromo do Cristal, sede do Jockey Club do Rio Grande do Sul. Foto: Profª Luciana Martins.

Professora Ana Fernandes manda avisar:

Pessoal,

Eu e a professora Alessandra gostaríamos de convidá-los a participar de mais esta oportunidade oferecida pelo nosso curso, através dos laboratórios de Conforto Ambiental e de Materiais e Técnicas Construtivas, visando a complementação e o aprofundamento do repertório técnico e projetual de vocês.

O curso possui um enfoque completo sobre o tema pois, além de tratar do projeto e do dimensionamento de protetores solares, também abordará a sua influência na composição do edifício, o que é extremamente importante e intrínsico a um bom projeto.

O professor convidado possui pós-doutorado em Kassel, na Alemanha e leciona na UPF- Universidade de Passo Fundo.

Contamos com a presença de vocês. Maiores informações, abaixo.

protetores solares

OBJETIVOS

- Sensibilizar os participantes acerca da sua responsabilidade social e ambiental, capacitando-os de modo a desenvolver projetos mais sustentáveis, buscando gerar menos consumo de energia;

- repertoriar o participante para projetar e dimensionar protetores solares com base no estudo da geometria de insolação, analisando a sua eficiência energética;

- abordar a problemática do papel da tecnologia no projeto de arquitetura, visando a aspectos referentes às possibilidades de valorização dos sistemas de proteção solar na composição dos edifícios.

 

PÚBLICO-ALVO

Arquitetos, engenheiros, alunos, professores do curso de Arquitetura e Urbanismo e comunidade em geral.

 

PERÍODO

19 e 20 de junho de 2009

 

DIAS

19 e 20 de junho de 2009

 

HORÁRIO

Sexta-feira, das 13h30min às 17h30min, e sábado, das 08h30min às 12h30min e das 13h30min às 17h30min

 

CARGA HORÁRIA

12 horas

 

CERTIFICADO

 Para a certificação, mínimo de 75% de freqüência.

 

LOCAL

Sala 101C – Prédio Arenito – Campus II – Feevale

 

INVESTIMENTO

Comunidade externa: 03x de R$60,00 | à vista: R$180,00

Acadêmicos, graduados e pós-graduados da feevale: 3x de R$48,00 | à vista: R$144,00

Pagamento via boleto bancário.

INSCRIÇÃO

Até o dia 17/06/2009. 

Pessoa Física

  • Via site, acessando www.feevale.br/extensao;
  • Na Secretaria de Extensão – campus I;
  • No Atendimento Feevale – campus II.            

Pagamento via boleto bancário gerado ao final da inscrição.

Pessoa Jurídica

Preencher a ficha de inscrição on-line (clicando em uma das opções acima, na modalidade pessoa física) dos colaboradores a serem inscritos e encaminhar a Ficha de Inscrição para Empresas ao fax (51) 3586-8800, ramal 8556.

Confirmar o recebimento pelo telefone (51)3586-8991.

MINISTRANTE

Eduardo Grala da Cunha – Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Pelotas (1994),

especialização em Engenharia de Produção pela Universidade Católica de Pelotas (1995),

mestrado em Arquitetura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1999),

doutorado em Arquitetura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2005) e

pós-doutorado (Universidade de Kassel, 2007/2008). Atualmente, é professor Adjunto II da Universidade de Passo Fundo.

Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo, atuando

principalmente nos seguintes temas: metodologia do projeto arquitetônico, adequação ambiental, eficiência energética e sustentabilidade.

 

PROGRAMA

Módulo 01 – Aspectos iniciais referentes à adequação estética dos sistemas de proteção solar

                               1.1 – O papel da tecnologia na proposta arquitetônica

                               1.2 – A ênfase à tecnologia na concepção

                               1.3 – Ênfase tecnológica x sistemas de proteção solar

                                               1.3.1 – A multiplicidade de possibilidades

 

Módulo 02 – Eficiência energética x proteção solar

                               2.1 – O fator solar

2.2 – A regulamentação de etiquetagem voluntária – definição da eficiência do envelope

 

Módulo 03 – Aplicações da geometria de insolação na Arquitetura e no Urbanismo

                               3.1 – Movimento aparente do sol e radiação solar

                               3.2 – Norte magnético e norte verdadeiro ou geográfico

                                               3.2.1 – Cartas de declinação magnética

                                               3.2.2 – Software Declinação

                               3.3 – Conceitos de altura solar e azimute

                               3.4 – Instrumentos de avaliação

                                               3.4.1 – A carta solar

                                               3.4.2 – Ângulos a, b, g

                                               3.4.3 – Os medidores de ângulos

 

Módulo 04 – Construção de cartas solares

4.1 – Método de projeção estereográfica horizontal

                               4.2 – Leitura direta

                               4.3 – Traçado de máscaras de sombra

                               4.4 – Traçado de sombras

 

Módulo 05 – Máscara e dimensionamento de protetores solares

5.1 – Máscara de Brise-soleil horizontal

5.2 – Máscara de Brise-soleil vertical

5.3 – Máscara de Brise-soleil horizontal e vertical – misto

5.4 – Exercícios de dimensionamento

 

COORDENAÇÃO

Profª. Alessandra M. do Amaral Brito e Profª. Ana Eliza Pereira Fernandes

 

PROMOÇÃO

Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas – ICET – Curso de Arquitetura e Urbanismo

 

ORGANIZAÇÃO

             Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários – Proacom

Palestra aberta ao público: Novas tendências na construção

sábado, 13 setembro, 2008

Tendencias na construção

Convite aberto à comunidade:

Palestra: NOVAS TENDÊNCIAS NA CONSTRUÇÃO

Data: 18/09/2008 (quinta)

Horário: das 19:30 às 21h

Local: sala 007 (Prédio 14 – Arenito)

(para mais informações e inscrições, clique na imagem acima)

Palestra sobre estruturas de aço

terça-feira, 17 junho, 2008

Mies_farnsworth_estrutura
Esquema estrutural da Casa Farnsworth, Mies van der Rohe 1945–51.

Professor Alexandre manda avisar:

Caros colegas e alunos

Hoje, às 19:30h na sala 007 do arenito, na disciplina de Materiais e Técnicas Construtivas III, teremos a palestra “Estrutura de Aço e componentes industriais na construção”, ministrada pelo arquiteto Álvaro Moraes.

Essa palestra foi apresentada pelo Álvaro no III Congresso Internacional de Construção Metálica, realizada em Ouro Preto em Abril de 2006.

Todos estão convidados!

Jogos Olímpicos – “O Dragão”

quarta-feira, 28 maio, 2008

Seguindo a série de posts sobre as obras realizadas na China para os Jogos Olímpicos, elaboro aqui uma “versão brasileira” de um post recente do melhor site sobre arquitetura no Chile, o Plataforma Arquitectura.

Foster and Partners - Beijing International Airport 7
Plano geral do Aeroporto de Pequim – Foster+Partners (clique para ampliar).

A poucos meses do início dos Jogos Olímpicos de Pequim, foi inaugurado o novo aeroporto da cidade, obra do escritório londrino Foster + Partners.

Beijing_airport-29

Este aeroporto, atualmente o maior do mundo, foi uma encomenda desafiadora para o escritório de Foster, tanto pelo prazo apertado de desenvolvimento do projeto, como pelos desafios que implica um terminal aéreo de 3,25km de comprimento: eficiência operacional, transporte interno, conforto dos passageiros, luz natural, eficiência energética e proteção sísmica. Como é usual neste tipo de demanda, Norman Foster respondeu à altura.

Foster and Partners - Beijing International Airport 4

Há também um aspecto deste projeto que chama a atenção (e que sempre era tema dos outros posts da “série”), como tudo que está sendo construído com os megaprojetos na China: a forma figurativa, neste caso de um dragão, como se pode ver no render acima. Este tema, muitas vezes desdenhado pelos arquitetos, neste projeto se torna algo importante frente a este cliente, já que é uma imagem absolutamente arraigada em sua tradição.

656408262_beijing_airport-10

Sobre a rapidez com que se teve que conceber o projeto, vale mencionar que após quatro meses de terem sido confirmados como vencedores do concurso, o escritório deslocou uma equipe até Pequim para concluir os mais de 2.500 desenhos. No canteiro de obras trabalharam 50 mil operários, que conseguiram tirar da prancheta 1,3 milhões de metros quadrados em apenas quatro anos.

Apesar de ser um projeto de grande escala com um programa complexo, ele foi resolvido através de uma espacialidade clara e aproveitando ao máximo o perímetro do edifício. O espaço interior se unifica graças às conexões visuais ao longo de todo o aeroporto entre o primeiro nível e o mezanino superior. Estes espaços são iluminados de maneira natural graças ao uso do vidro e dos zenitais triangulares.

Beijing_airport-7

A cobertura que unifica todo o aeroporto possui uma colunata que evoca os templos chineses, e como pode se ver nos cortes, é curvada para poder configurar um grande espaço no centro, e espaços mais controlados nas laterais.

Sobre o aspecto energético, o maior aeroporto do mundo incorpora diversos conceitos de controle passivo como os zenitais orientados ao sul-leste para ganhar calor durante a parte da manhã e um sistema de controle de energia para reduzir o gasto com iluminação artificial.

Aeroporto_spine_section

Para conhecer melhor o projeto, vale assistir ao documentário do Discovery Channel sobre o aeroporto que está no YouTube. Com depoimentos do próprio Foster (e imagens do gigantesco escritório às margens do Tamisa), pode-se entender como é o desafio de se conceber uma obra deste porte. A primeira parte do vídeo está abaixo:

  • Mais informações e imagens do projeto aqui e aqui.
  • Site oficial aqui.
  • Fotos no Flickr aqui.
  • Outros posts sobre Pequim no Arqfeevale: aqui e aqui.

Há cinco anos…

quinta-feira, 22 maio, 2008

Obra Arenito
Grua no Campus II: a construção do Arenito. Foto: Juliano Vasconcellos (clique para ampliar).

15:23h do dia 20 de agosto de 2003. Obras do prédio Arenito. Taí a paisagem do Campus sem o edifício para quem ingressou no curso depois dessa data. A obra estaria pronta em fevereiro do ano seguinte!

Palestras em Materiais e Técnicas Construtivas III

terça-feira, 13 maio, 2008

Obra do Museu Iberê Camargo - Porto Alegre
Museu Iberê Camargo com gesso acartonado como revestimento. Foto: malmeida

O Prof. Eng. Alexandre Silva de Vargas manda avisar via lista arqfeevale:

Hoje (13/05) teremos na disciplina de materiais e técnicas III, sala 007 às 19:30 h, palestra com a PLACO sobre gesso acartonado.

Depois do intervalo, teremos palestra sobre alvenaria racionalizada – blocos cerâmicos com a Pauluzzi.
Essas palestras fazem parte do Projeto Indústria-Universidade (PIU) – http://www.projetopiu.com.br/
Aqueles que desejarem assistir a essas palestras, fica o convite.

Jogos Olímpicos – “As bolhas”

sexta-feira, 18 abril, 2008

Water Cube

Chamado de “Water Cube”, o Beijing National Aquatics Centre (principal edifício dos esportes aquáticos dos Jogos Olímpicos desse ano) é projeto do escritório australiano PTW Architects com a consultoria do Arup. O pavilhão (adjacente ao Estádio Nacional), possui aproximadamente 2.200m2 e capacidade para 17 mil espectadores. Sua estrutura externa (feita em aço) foi projetada a partir do desenho da formação natural de bolhas de sabão. Assim como o Estádio Nacional, a imagem transmitida pela obra é praticamente instantânea, porém não é gratuita na essência, conforme o próprio arquiteto Andrew Frost, diretor da PTW diz:

“O conceito do Water Cube é simples e conciso: um quadrado que em última análise utiliza a teoria de bolhas para criar a estrutura e seu revestimento, e é isso que torna o projeto tão diferente. Parece aleatória a brincadeira com o sistema estrutural, porém matematicamente é rigoroso e repetitivo. A transparência da água, juntamente com o sistema de bolhas, convida aqueles que tanto dentro como fora da estrutura a considerar as suas próprias experiências com a água.”

Estruturalmentre, no Water Cube as vigas e os pilares se diluem no sistema alveolar da fachada, ao mesmo tempo em que estão presentes nas formas poligonais de cada módulo-bolha. As peças não estão presentes como no sistema estrutural convencional, mas se recorre ao comportamento presente na natureza para que a transmissão das tensões ocorra de maneira correta (pois não podemos esquecer que a cobertura também é estruturada a partir desses módulos). De maneira idêntica ao Estádio de Herzog & de Meuron ao lado, a forma tem relação direta com a estrutura, pois a fachada é auto-portante onde nada é supérfluo.

WatercubebubbledetailO material que reveste a estrutura é o ETFE (Ethyleno tetrafluoroethyleno), um polímero composto por fluorocarbono semelhante ao plástico, porém projetado para ter alta resistência a corrosão e a grandes diferenças térmicas. Com ele, 90% da energia solar é canalizada para o aquecimento da água das piscinas e do seu interior. É esse material que permite que a imagem do edifício seja uma novidade, pois sem ele talvez nenhum outro tipo de material (como o vidro, por exemplo) pudesse realizar tal tarefa.

Crown Hall - Mies Van der Rohe

Watercube

A meu ver, fica quase impossível não relacionar o Water Cube com alguma obra moderna, neste caso, o Crown Hall de Mies Van der Rohe (esq). A geometria racional e extremamente controlada em contraponto a uma modulação não-retangular da fachada, porém compondo estruturas volumetricamente muito semelhantes. Nos dois, é evidente o rigor do projeto e a função estrutural de tudo o que está visível. Cada um lança mão da tecnologia de sua época em favor de uma arquitetura que, apesar de possuir funções distintas, busca transmitir de forma muito semelhante a coerência entre forma, material e estrutura.

  • Ótimo artigo em português sobre a arquitetura do Water Cube aqui.
  • Fotos da obra, aqui.
  • Vídeo com reportagem sobre a inauguração, aqui.
  • Site oficial aqui.

Jogos Olímpicos – “O Ninho”

segunda-feira, 14 abril, 2008

Beijing-birdsnest123

Para quem ainda não conhece, a foto acima é do Estádio Olímpico de Pequim, que estará concluído em maio e será a principal sede dos Jogos Olímpicos desse ano. Projetado pelo escritório suíço Herzog & de Meuron (dos arquitetos Jacques Herzog e Pierre de Meuron), o estádio (com capacidade para 91 mil espectadores) ficou conhecido como “Ninho de Pássaro” pela utilização da estrutura como um exoesqueleto não-reticular. Compondo um sistema totalmente coeso, as peças (pilares e vigas) inclinadas também são o suporte das escadarias e paredes, além da grande cobertura do estádio. Com a exposição da estrutura, utilitas e firmitas acabam por se fundir em venustas, conforme os próprios arquitetos suíços definem:

“O efeito espacial do estádio é novo e radical, porém simples. É de uma instantaneidade quase arcaica. A sua aparência é pura estrutura. Fachada e estrutura são idênticas.”
Beijing-birdsnestcu_work
A estrutura de aço que resulta deste exercício plástico-estrutural é de uma escala impressionante (ver imagem ao lado), e que inspira até o desenho das luminárias do seu entorno. A construção (que se iniciou em 2003), pode ser acompanhada passo a passo no site oficial do estádio.
O site (que possui várias informações sobre a obra) ainda traz uma loja que vende diversas quinquilharias, inclusive réplicas do “ninho” em forma de pingente. A identificação visual icônica (que a forte linguagem adotada transmite), reforça ainda mais a idéia dessa obra como símbolo do mais importante evento espotivo desse ano.
  • Mais fotos recentes do “Ninho de Pássaro” feito de aço e concreto aqui.
  • E ainda nessa semana aqui no blog “As bolhas”!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.