A sensação do espaço não depende de paredes… nem de tetos.

by

A Praça Itália, em Porto Alegre, RS.

Uma das coisas que mais chama a atenção na praça Itália, ao lado do Shopping Praia de Belas, na capital dos gaúchos, é o espaço criado pela colunata, composta de 12 colunas.

A sensação, uma vez dentro da colunata, é de que se está contido por um limite que, neste caso, é invisível. A arquitetura de Fayet, nesta paisagem urbana, deixa evidente o aspecto sensorial presente em toda intenção arquitetônica. Bastaram elementos que o ordenasse. E por sucintos que tenham sido, a consistência abstrata deste espaço resultou justamente de sua intensa permeabilidade: ao ser aberto em seus limites, sem opacidades ou transparências entre si e o panorâma. O ciclista, subconscientemente, consegue perceber, que está contido por um espaço ordenado… i.e., por este elemento etéreo, genuinamente arquitetônico.

A praça itália, com 10.000 m2, localizada entre as avenidas Borges de Medeiros e Praia de Belas, foi inaugurada em 1992; tem o projeto de nosso arquiteto gaúcho Carlos M. Fayet (falecido em 2007).

fonte: http://www2.portoalegre.rs.gov.br/smam/default.php?p_secao=68

Anúncios

3 Respostas to “A sensação do espaço não depende de paredes… nem de tetos.”

  1. Jorge Luís Stocker Jr. Says:

    Com certeza um dos arquitetos mais importantes do RS, se não o mais. Sou fã de muitos projetos dele.

    Só não sou muito fã do conceito de praças secas nas nossas cidades, pois acho o calor insuportável.

  2. prof. arthur Says:

    Caro Jorge… concordo contigo, Fayet fez muito pela arquitetura gaúcha.
    Quanto ao artigo da praça: essa praça é bem verde, é só parcialmente seca, mas apesar disso dificilmente faz calor ali, pois está próximo ao Guaíba, onde sempre tem um ventinho.
    Neste artigo, eu quis mostrar a importância do espaço, e este espaço da praça só pode ser ‘seco’ já que é para a passagem e para a reunião de pessoas, tipo uma esplanada.
    E a praça Itália é considerada um dos maiores exemplos de paisagismo contemporâneo na América Latina.

  3. Clara Sampaio Says:

    Fayet não é gaúcho, é capixaba ( por mais que sua produção seja, em sua maioria em terras gaúchas).

    E sim, é um belíssimo projeto, um marco no paisagismo brasileiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: