Archive for the ‘Arquitetura Moderna’ Category

Novo Banco de Imagens da Arquitetura e Urbanismo

quinta-feira, 24 novembro, 2011

por Prof. Bruno Mello

Prezados leitores,

O Laboratório de Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo está trabalhando na criação de um Banco de Imagens de Arquitetura Brasileira. Estas imagens constituirão um acervo digital que poderá ser consultado por acadêmicos e docentes do curso como suporte para pesquisas e trabalhos acadêmicos. A catalogação já em andamento está organizando imagens de exemplares da arquitetura colonial, neoclássica, eclética e modernista de cidades nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O acervo já totaliza mais de 5.000 imagens.

Para ampliar este banco de imagens do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Feevale à disposição da comunidade acadêmica o Laboratório conta com a colaboração de todos. A construção deste banco de imagens está sendo realizado a partir de doações de imagens. Desta forma, se você tem imagens de Arquitetura Brasileira e tem interesse em contribuir com o LAB THAU, doe suas fotografias para o acervo entrando em contato através do e-mail labthau@feevale.br ou fale com o Professor Bruno Mello.

A autorização da cessão das fotos é efetivada através da assinatura de um contrato de cedência de uso. Todas as imagens doadas terão a citação de autoria destacada em uma “etiqueta digital” incorporada a foto.

Contamos com a colaboração de todos!

Fotos da obra do Jockey Club do RS

segunda-feira, 9 junho, 2008

Hipódromo do Cristal - Vista aérea 6

Encontrei nos meus antigos arquivos de faculdade algumas fotos da obra do Jockey Club do Rio Grande do Sul (Hipódromo do Cristal), uma das obras que será visitada no próximo sábado, dia 14 no Sabadarq na Estrada.

Um dos maiores exemplares da Arquitetura Moderna no estado, o projeto é de autoria do arquiteto uruguaio Roman Fresnedo Siri, no ano de 1951.

Implantação original Hipódromo do Cristal Hipódromo do Cristal - Vista aérea 1

Hipódromo do Cristal - Vista aérea 2 Hipódromo do Cristal - Obras do Paddock

Hipódromo do Cristal - Obra das baias Hipódromo do Cristal - Vista aérea 3

Hipódromo do Cristal - Vista aérea 4 Hipódromo do Cristal - Vista aérea 5


Só para falar da obra do shopping que está em andamento ao lado deste maravilhoso sítio, observem o total descompromisso com a implantação original (primeira imagem da galeria acima) do complexo do Hipódromo:

Im_2

Além do projeto original ser ignorado totalmente, não existe nenhuma relação (formal ou espacial) com o entorno imediato e com os pavilhões.

Veremos mais no próximo sábado.

Casa Curutchet será Patrimônio Cultural da Humanidade

quarta-feira, 7 maio, 2008

Via arq.com.mx

Curutchet

Imagem: amaia

A Casa Curutchet (1949–53), único projeto construído de Le Corbusier na América Latina (localizado em La Plata – Argentina), será declarada oficialmente como Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO (assim como acontece com as cidades de Brasília e Salvador aqui no Brasil).

A solenidade de anúncio do convênio do Instituto de Cultura local com o ICOMOS (International Council on Monuments and Sites) será realizada amanhã em La Plata com a presença de autoridades e arquitetos de renome internacional. O ICOMOS é a principal organização não-governamental que trata do assunto da conservação, proteção e valorização dos monumentos, conjuntos de edifícios e sítios de interesse histórico e cultural. O programa do Institudo de Cultura também leva em conta uma série de outros lugares da cidade como o Museu de Ciências Naturais, a Praça de San Martin, a Catedral e o Palácio Municipal.

Segundo a matéria do site arq.com.mx, a Casa Curutchet se destaca pois constitui uma obra exemplar sobre o ponto de vista plástico na adaptação do princípios característicos da arquitetura doméstica de Le Corbusier em relação as particularidades do contexto urbano da cidade argentina.

Sobre arquitetura e arquitetos

quinta-feira, 17 abril, 2008

Reidy

Encontrei esse belo texto de Affonso Eduardo Reidy (1909–64), em discurso como paraninfo da turma de formandos de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo da Escola de Arquitetura de Minas Gerais no ano de 1952:

“Poucas profissões exercem igual fascínio. Poucas profissões oferecem tão largo campo ao trabalho da criação. [A arquitetura] Reúne em si duas atividades aparentemente antagônicas, mas que se completam: a poesia e a construção; a intenção plástica presidindo o trabalho de concepção. Imposta ao estudo do homem, do seu comportamento em sociedade, das suas necessidades e aspirações; no conhecimento das técnicas e dos meios de realização. A carreira é bela e sedutora. O ofício é nobre, mas o caminho a percorrer são virtudes necessárias para enfrentar as dificuldades que não hão de faltar na jornada de cada um. A verdadeira obra de arte, aquela que se afirma e permanece, desafiando o tempo, é sempre o produto de um trabalho sério, honesto e sincero, em que o artista se emprega a fundo, tudo dando de si, sem deixar seduzir pelo sucesso fácil e efêmero.

Quando ele fala de intenção plástica, faz citação direta a Lucio Costa (que cunhou o termo como sendo condição primordial de uma obra de arquitetura). Lucio é mestre de toda geração da qual Reidy fez parte e, a meu ver, é o mais importante arquiteto que passou por nossas terras até hoje (não só pela obra construída, mas, principalmente, pela obra escrita).

  • Na foto, Reidy durante a construção do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro na década de 50 do século passado.

“Ruínas de Savoye”

terça-feira, 15 abril, 2008

Villa Savoye pichada

Ícone dos Cinco Pontos para uma Nova Arquitetura, a Villa Savoye (1929) esteve por mais de 20 anos abandonada antes de ser recuperada pela Fundação Le Corbusier. Lembro do relato de Lucio Costa (que esteve por lá na época) em um texto publicado no livrão que, na oportunidade de sua visita, uma das obras mais famosas do movimento moderno estava cheia de saco de batatas (pois durante a II Guerra Mundial, a antiga residência foi utilizada pelas tropas alemãs como um celeiro)!

Na década de 90, ainda como estudante de arquitetura, me deparei com uma imagem da “ruína” com todos os vidros das janelas quebrados. Na época, não resisti e resolvi transformar o “vandalismo da guerra” em algo “mais evidente” (imagem acima).

  • A imagem original você pode ver aqui.
  • Mais fotos da Villa Savoye abandonada aqui e aqui.
  • Fotos da obra atualmente aqui [Flickr].