Archive for the ‘Arte & Cultura’ Category

BLOCO (12): O Partido Arquitetônico e a Cidade

terça-feira, 14 junho, 2016

b12-arte

Neste ano de 2016, em seu décimo segundo número, o Bloco abordará o tema O Partido Arquitetônico e a Cidade. Essa escolha tem como objetivo proporcionar a toda a comunidade acadêmica reflexões críticas acerca de algumas noções consolidadas e outras negligenciadas em relação ao partido arquitetônico.

Consideramos importante fazer a relação de partido geral com a cidade tendo em vista que, em grande medida, é a arquitetura quem configura as cidades e, como pressuposto, a relação inversa é premissa do bom partido. Mesmo tendo consciência de que as cidades e a arquitetura são bem mais que edifícios e sua justaposição no tecido urbano, é a arquitetura como um arranjo técnico e social a disciplina que constrói lugares, assim como deve considerar na sua prática aquele existente.

Da mesma forma, também nos interessa registrar outros aspectos importantes que ocorrem nesse momento de síntese criativa e escolhas de projeto, trazendo a tona reflexões sobre a problematização do programa como modo de organizar espaços em comunhão às atividades, temporalidades e o corpo em movimento.

Assim como queremos mostrar interpretações sobre temas relativos à forma, composição, caráter e tipo como territorialidades conceituais exploradas pelos arquitetos e pela crítica e que transitam na teoria do projeto com diferentes intensidades durante diversos períodos históricos. As maneiras de abarcar tais abordagens tem sofrido consideráveis mutações de sentido epistemológico nas análises e, com isso, como esses conhecimentos e conceitos são operados em vista a construir procedimentos realmente pertinentes à arquitetura contemporânea.

Não se pode ignorar que o partido como importante ato e ação do processo de projeto tem inúmeras faces que vão das expectativas criativas aos tortuosos caminhos do desconhecido. Nessa seara há também os perigos do desejo da inovação formal simplificados nela mesma. O virtuoso acesso às informações parece fomentar à busca da forma como uma reprodução das imagens e das últimas novidades presente nas mídias especializadas, as vezes não como uma possibilidade de conhecimento. Semelhante a isso estão as novas possibilidades encontradas nas novas tecnologias de representação e que significativamente tem contribuído em importantes reflexões sobre o partido arquitetônico como processo, bem como sobre linguagem e construção.

A partir desses eixos e suas possíveis derivações que incluem a publicação de projetos dos autores, convidamos a todos a participar do processo de seleção para publicar no Bloco. O livro do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Feevale de Novo Hamburgo, RS, tem lançamento anual, é de distribuição gratuita e também conta com exemplar virtual. Trata-se de uma edição aberta, que busca inovação não só na forma, mas também no conteúdo, disposta a divulgar pensamentos das mais variadas perspectivas dentro da temática proposta. Conheça as edições anteriores disponíveis na íntegra no nosso site.

Convidamos a todos a submeter resumos para o número 12 do Bloco dentro dessa abordagem, conforme as normas abaixo:

  • Resumo de artigo de até 500 palavras (fonte Arial, tamanho 12), contendo título, definição clara do argumento e relevância da contribuição ao tema. 
  • Deve constar o(s) nome(s) do(s) autor(es), vínculo institucional e e-mail.
  • A data limite para o envio do resumo é até 17/07/16.
  • A seleção dos resumos considerará se a abordagem está de acordo com a proposta do tema, a relevância do enfoque investigado para essa temática, a clareza da apresentação das ideias e a qualidade do texto.
  • O resultado será divulgado individualmente no endereço do participante até o dia 25/07/15, quando indicaremos o padrão de formatação para o artigo.
  • O envio do artigo finalizado deverá ocorrer impreterivelmente até o dia 15/08/15.

As onze edições anteriores do Bloco foram lançadas na Feira do Livro de Porto Alegre, na Praça da Alfândega, atividade que se repetirá em novembro deste ano.

Para submeter seu resumo e tirar dúvidas utilize o e-mail bloco@feevale.br.

Contamos com a sua participação.

Juliano Caldas de Vasconcellos
Tiago Balem
(organizadores)

Sexta é dia de Bloco!

terça-feira, 10 novembro, 2009

Bloco5

Convidamos vocês para o lançamento do nosso livro, “Bloco(5): arquiteturas de interior”. Como tem ocorrido nos últimos 5 anos, o lançamento será após o ArquiSarau, e fará parte das atividades da Feira do Livro de Porto Alegre.

O ArquiSarau começará às 19h30 do dia 13 de novembro, sexta-feira, no Restaurante Moeda do Santander Cultural, em Porto Alegre. O evento contará com a presença dos arquitetos Marcelo Ferraz (que também escreveu no Bloco), Ana Meira e Ronaldo Rezende, os quais debaterão sobre as oportunidades para produzir boa arquitetura, construindo a cidade contemporânea sem detrimento de sua memória.

Após o debate, ocorreráo lançamento do livro, que será gratuitamente oferecido aos presentes.

O Bloco é uma publicação do curso de Arquitetura e Urbanismo da Feevale e tem como objetivo principal a socialização do conhecimento produzido no âmbito acadêmico – principalmente entre os estudantes do curso.

Logo, a presença de vocês é fundamental.

Esperamos vocês por lá!

Cada um no seu quadrado!!

terça-feira, 27 maio, 2008

Aprendemos muito nesta última viagem, mas acho que a tônica que permeou grande parte de nossos dias foi a questão dos limites e fronteiras.

Ado a-ado cada um no seu quadrado

Logo de saída, fomos barrados em frente ao rio Uruguai, e a Argentina que avistávamos na outra margem teve de esperar. Muita frustração causada pela burocracia e papelada necessária para se cruzar um rio que antes era usado como meio de integração pelos povos indígenas.

Brasileiros no seu quadrado, Argentinos no seu quadrado

Sob uma noite estralada, assistimos ao show de som e luz em São Miguel, e pudemos iniciar finalmente nossa viagem ao mundo missioneiro. Mesmo com um texto já bastante antigo e bem parcial, pudemos verificar que a questão principal dos limites e fronteiras entre os impérios mercantilistas do passado foi a principal causa da ruína do projeto missioneiro.

Agora prestem atenção, o quadrado do lado é o quadrado do inimigo!

Nas visitas que se seguiram, São Miguel, São Lourenço, Santo Inácio Mini, Trinidad, Jesus e São João, verificamos o traçado urbano característico em xadrez, com a praça central articulando as casas dos índios ao seu redor, a Igreja ao fundo, com o colégio e o cemitério aos lados, e mais atrás o Cotiguaçú (casa das viúvas e órfãos). O cemitério é divido em quatro partes (homens, mulheres, meninos e meninas), assim como os setores residenciais distintos para solteiros e casados, jovens e adultos.

Ado a-ado cada um no seu quadrado

Outra importante constatação ao cruzarmos o rio Paraná foi a de que o Paraguai é muito mais belo do que nos pintam. Paisagens de coxilhas verdes, vilarejos rurais e um conjunto de ruínas intocado, esquecido pela história, o que contribuiu para sua preservação. Aliás, o isolamento é algo ainda presente, pois quem se sujeita a 3 horas de espera na alfândega Argentina para retornar do Paraguai? E o Mercosul?

Paraguaios no seu quadrado, Argentinos no seu quadrado
Mas apesar de todos as horas em alfândegas, e o tempo perdido para se andar sobre um território que um dia já foi mais unido do que é hoje, nossa viagem foi excelente. Aprendemos muito sobre arquitetura, história e principalmente sobre nossa cultura. Nos conhecemos melhor e fizemos muitas amizades. Ouvimos novas músicas que fizeram nossa trilha sonora, e que na hora até não me pareceram tão apropriadas, mas que agora me parecem perfeitas para aquele momento.

Ado a-ado cada um no seu quadrado

Ado a-ado cada um no seu quadrado

Ado a-ado cada um no seu quadrado

É amanhã!

sexta-feira, 25 abril, 2008

Vista aérea do Museu do Pão em Ilópolis

Sabadarq na Estrada, viagem para Ilópolis, a nossa visita ao “já famoso” Museu do Pão (foto). Saída 9h do Campus II.

Previsão do tempo: sol com algumas nuvens (sem chuva, ao que tudo indica).

Não esqueçam de suas câmeras fotográficas, filmadoras, blocos (de desenho e anotações) etc.

São Paulo – Parte 3 (final)

terça-feira, 22 abril, 2008

Memorial da América Latina

Ao final da visita, como rescaldo, posso dizer que são poucas as manifestações artísticas que ainda me emocionam. Mesmo com Renoir, Picasso e Portinari no MASP, os maravilhosos painéis de azulejos portugueses do século XVI na FIESP, as gigantescas telas da Pinacoteca e todo o acervo do Memorial da América Latina (foto); as obras de arquitetura ainda são os produtos da atividade humana que mais me sensibilizam (seguidos pelo cinema e pela música, mas bem lá atrás).

E não dá pra deixar de dizer que São Paulo é síntese do Brasil tanto em cultura quanto em arquitetura. Olhando as pessoas nas ruas dá pra entender o que isso quer dizer: nem Rio de Janeiro ou outra capital brasileira é tão emblemática como reunião de todos os frutos dessa mistura.