Archive for the ‘Profissão’ Category

A autoria na academia: virtudes, criatividade e aprendizagem

quarta-feira, 23 novembro, 2011

Comumente temos muitas razões para nos orgulharmos de nossos desenhos e projetos, afinal, são produtos de longos períodos de labuta e meditação. Também é fato que nem sempre, por contingências do momento, os trabalhos ou exercícios e estudos fluem do modo como idealizamos.  A autoria de um trabalho lida com as demandas e com aspectos cotidianos e embora estes e outros aspectos possam impactar a fluidez dos trabalhos, sua legitimidade faz parte dos deveres autorais.  Assim, entre êxitos e esforços, há razões de sobra para a autoria manter-se cristalina: no uso de suas habilidades, o autor tem a demonstração de suas competências e, no uso da criatividade e da inventividade, tem a comunicação expressiva da ideia conforme os objetivos e fins almejados.

(more…)

Construção Civil é assunto na TV Feevale

segunda-feira, 23 novembro, 2009

Prof. Arq. Leandro Manenti e Acad. Guilherme Osterkamp falam sobre novas tecnologias e experiências acadêmicas no vídeo abaixo:

Intercâmbio Acadêmico – Feevale – Politecnico di Milano

quarta-feira, 22 outubro, 2008

Acaba de ser assinado o convênio entre a Feevale e o Politecnico di Milano (www.polimi.it) para intercâmbio docente e discente, conforme foi anunciado na aula inaugural deste semestre. O convênio permite que os alunos do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Feevale cursem um semestre na Itália com equivalência para as disciplinas do curso aqui, e o que é melhor, pagando o preço do crédito da Feevale. O convênio possibilitará, também, a mobilidade docente, isto é, nossos professores poderão ir à Itália participar de atividades conjuntas com os colegas de lá, assim como poderemos receber professores italianos aqui.

O Politecnico di Milano é uma das universisades mais reconhecidas da Europa. Criada no ano de 1863, hoje conta com aproximadamente 38 mil alunos, e forma mais de 30% dos arquitetos italianos.

As inscrições para a primeira turma de alunos brasileiros irem à Itália serão abertas em março, para viajarem em setembo de 2009, quando se iniciam as aulas do primeiro semestre letivo por lá. O Politecnico di Milano tem duas sedes onde é oferecido o Curso de Arquitetura: Milão  e Mantova.

Para maiores informações sobre as inscrições, entrem em contato com a Diretoria de Relações Interncaionais (dri@feevale.br) ou se dirijam ao Setor de Intercâmbio, no segundo andar do centro de convivência da Feevale.

2º Fórum Pró-Patrimônio Cultural

quarta-feira, 30 julho, 2008

No próximo dia 16 de agosto acontecerá o 2º Fórum Pró-Patrimônio Cultural, promovido pelo Curso de Arqutietura e Urbanismo da Feevale e pela Associação dos Arquitetos e Engenheiros Civis de Novo Hamburgo – ASAEC, com o patrocínio do CREA-RS.

O Fórum terá como objetivo promover a discussão e a sensibilização da comunidade local sobre a importância da preservação dos centros históricos, como patrimônio cultural e meio de desenvolvimento sustentado das comunidades envolvidas. Através de intervenções exemplares e de depoimentos de agentes envolvidos na preservação, o fórum se propõe a apresentar diferentes maneiras de intervenção e modos de organização estatal e da comunidade para atingir os objetivos traçados. O Fórum se integra ainda às atividades relativas ao Dia do Patrimônio Histórico, que se comemora no dia 17 de agosto, em todo o Brasil.

Como palestrantes teremos:
ARQ. MARCELO FERRAZ, sócio da Brasil Arquitetura (
http://www.brasilarq.com.br/) e autor de um dos projetos mais importantes deste ano, o Museu do Pão (https://arqfeevale.wordpress.com/2008/04/28/pao-e-circo/), em Ilópolis, que aliou arquitetura, resgate histórico e turismo.
ARQ. BETINA ADAMS, do IPUF – Instituto do Patrimônio de Florianópolis (
http://www.ipuf.sc.gov.br/), que nos trará a experiência desenvolvida em Santa Catarina, que tem conseguido aliar a participação da comunidade com a preservação;
ARQ. ALOÍSIO DAUDT, profissional de Novo Hamburgo, que nos trará a experiência de anos trabalhando no levantamento de edificações históricas.

Na parte da manhã, o evento se dará no auditório do Campus 1 da Feevale, que representa para nós as raízes da Feevale em Hamburgo Velho.
Para o almoço, a Comunidade Evangélica de Hamburgo Velho estará nos recebendo com pratos típicos alemães, e a verba arrecada será revertida para os trabalhos de restauração da Igreja.
A tarde haverá uma caminhada pelo bairro, e palestras na Fundação Scheffel.
Para o encerramento, teremos a performance da artista DAGGI DORNELLES, que trabalha a relação da arte, dança e cidade (http://floresurbanas.blogspot.com/)

Mais informações e inscrições:
(www.feevale.br/forumpatrimonio)

 


 

 

 

Existe uma identidade arquitetônica latino-americana?

segunda-feira, 21 julho, 2008

AU, ed.172

Casa Sebastian Lira, em Santiago, Chile, Arq. Sebastian Irrazabal. FONTE: AU, ed.172

Na revista AU de julho (ed. 172), na seção Fato & Opinião, é feita a pergunta do título acima. A matéria tem as respostas dos arquitetos Alejandro Aravena, Patricio Mardones Hiche (estes dois chilenos), Ruth Verde Zein, Carlos Eduardo Comas (UFRGS) e Fernanda Barbara. Abaixo a opinião do Aravena, arquiteto chileno, diretor-executivo da Elemental, que é um dos que ilustram a matéria de capa desta edição ‘JOVENS ARQUITETOS LATINO-AMERICANOS’.

Creio que o pior que um arquiteto pode fazer é se dizer genuíno ou, nesse caso, genuinamente latino-americano. A nossa atividade trata de fazer projetos contestando as perguntas como for o caso. Não se trata de uma identidade nacional ou continental como tema, mas sim, de pertinência e adequação.” A. ARAVENA.

Ou seja, uma arquitetura, nas palavras de Comas “… com a economia entendida como fazer o máximo com o mínimo em qualquer escala de intervenção, com a sustentabilidade como âncora de sensibilidade“, ou ainda, conforme Zein, onde “a tensão entre modernidade e tradição, entre regionalismo e universalismo, não precisa ser resolvida pela exacerbação das pontas, mas pela busca de equilíbrio entre opostos aparentes.”

Para ler online: http://www.revistaau.com.br 

Brad Pitt “projeta” hotel em Dubai

quinta-feira, 5 junho, 2008

Bradpitt01
Imagem: Inhabitat

Angelina_jolieNão é de hoje que Brad Pitt está envolvido com arquitetura. Já declarou que é ator por profissão, mas que sua real paixão é a arte de Palladio. Apesar de não ser arquiteto (mas ao que tudo indica será nosso colega após se aposentar das telas), já demonstrou interesse pela obra de Frank Lloyd Wright (veja foto ao lado), participou de alguns projetos de moradias sustentáveis para a recuperação de New Orleans (após o furacão Katrina em 2006), fez um “estágio” no escritório do amigo Frank Gehry, além de financiar a obra de recuperação da Casa Farnsworth após o último alagamento do sítio onde está localizada.

A última notícia do envolvimento do ator no campo da arquitetura está relacionada a um projeto para Dubai (já não fico mais surpreendido com nada sobre este lugar).Brad_frank Agora, ele aparece como “colaborador” do escritório GRAFT, no projeto de um luxuoso eco-hotel cinco estrelas de 800 quartos “socialmente consciente” (ao que parece, várias palavras que não combinam entre si). Não existem maiores detalhes do local ou do projeto, mas pelo que o próprio Brad diz, não fugirá muito da “arquitetura espetaculosa” que vem sendo praticada no emirado. Declarou ao Contract Journal:

“We will be unveiling precise plans in the next few months, but you can expect something that is not only stunning to look at, but will also be an incredible attraction to visit or stay at.”

Em pleno Dia Mundial do Meio Ambiente, o que muitos esperam é que ao menos o seu envolvimento com o Global Green tenha reflexo no projeto (o que, infelizmente, não garante em nada a qualidade arquitetônica do objeto construído).

ARQUITETURA DE QUÊ?

segunda-feira, 19 maio, 2008

prof. ms. josé arthur

A arquitetura de computadores é a teoria por detrás do desenho de um computador. Da mesma maneira que um arquiteto de edifícios define os princípios e os objetivos de um projeto de edificação como base dos projetos do projetista, assim também um arquiteto de computadores o faz, definindo a base das especificações do desenho do sistema. A Arquitetura de computadores pode também ser definida como a estrutura e a organização dos hardwares e se refere ao funcionamento interno do computador, como está organizada e arranjada a parte não vista pelo usuário de computador.” (http://pt.wikipedia.org/wiki/Arquitectura_de_computadores)

Considerando que a fonte da Wikipedia são os próprios internautas, as palavras acima até nos fazem pensar. Deste modo, eu, dias antes, me peguei pensando nisso. Arquitetura de computadores (computer architecture), uma disciplina muito importante nos currículos de cursos afins, e que possui o aspecto paradigmático que falta na compreensão das pessoas comuns sobre nossa Arquitetura oficial, isto é, da Arquitetura de Edificações, de Espaços e de Cidades. Ou seja, num trocadilho com a assertiva acima, quando é que o mundo vai entender Arquitetura como “a teoria por detrás do [simples] desenho” ou “a estrutura e a organização dos [espaços, edifícios]… e se refere ao funcionamento interno do [espaço, edifício]…”?

Até parece que quando se fala em arquitetura dos automóveis, dos navios ou dos aviões, fica fácil para o cidadão comum entender que arquitetura é teoria, princípios, procedimentos. Agora, quando se fala em arquitetura da casa, as pessoas logo vão achando que é ornamento, penduricalho, telhadinho e puxadinho… É dose! Temos um trabalho imenso junto a sociedade, quando pensamos que vamos apenas projetar e construir, temos que mostrar o que realmente é arquitetura até para o bispo, isto é,como está organizada e arranjada a parte não vista pelo usuário…”, o espaço, este ser etéreo e arquitetônico!

Sobre arquitetura e arquitetos

quinta-feira, 17 abril, 2008

Reidy

Encontrei esse belo texto de Affonso Eduardo Reidy (1909–64), em discurso como paraninfo da turma de formandos de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo da Escola de Arquitetura de Minas Gerais no ano de 1952:

“Poucas profissões exercem igual fascínio. Poucas profissões oferecem tão largo campo ao trabalho da criação. [A arquitetura] Reúne em si duas atividades aparentemente antagônicas, mas que se completam: a poesia e a construção; a intenção plástica presidindo o trabalho de concepção. Imposta ao estudo do homem, do seu comportamento em sociedade, das suas necessidades e aspirações; no conhecimento das técnicas e dos meios de realização. A carreira é bela e sedutora. O ofício é nobre, mas o caminho a percorrer são virtudes necessárias para enfrentar as dificuldades que não hão de faltar na jornada de cada um. A verdadeira obra de arte, aquela que se afirma e permanece, desafiando o tempo, é sempre o produto de um trabalho sério, honesto e sincero, em que o artista se emprega a fundo, tudo dando de si, sem deixar seduzir pelo sucesso fácil e efêmero.

Quando ele fala de intenção plástica, faz citação direta a Lucio Costa (que cunhou o termo como sendo condição primordial de uma obra de arquitetura). Lucio é mestre de toda geração da qual Reidy fez parte e, a meu ver, é o mais importante arquiteto que passou por nossas terras até hoje (não só pela obra construída, mas, principalmente, pela obra escrita).

  • Na foto, Reidy durante a construção do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro na década de 50 do século passado.